segunda-feira, 25 de abril de 2011

Medo de Amar

Oh medo,que nos paralisa,que nos impede de amar...de viver...de 
tentar...
Tão irônico...quando seu ser se divide em duas personalidades: - uma quer se poupar de sofrimento,e outra...quer tentar,não importa o quanto possa sofrer...

Não falo só de amor entre homem e mulher, mas amor por amor... amor que faz a gente ser feliz. Amor que nos faz deitar e ter um sono leve... tranqüilo... é desse amor que falo!!! 

Ainda que eu falasse a língua dos homens e dos anjos, se não tivesse amor... Ainda que profetizasse, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se não tivesse amor... Ainda que tivesse toda a fé e ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, se não tivesse amor... e mais, ainda que morresse pelo outro, se isso não fosse motivado pelo verdadeiro amor... de nada valeria, de nada mesmo!!! 


Creio firmemente que o maior problema para que amemos de verdade está no fato de que amar traz em seu “pacote” o dar-se...e dar-se pode nos causar dores que nos parecem irreparáveis... dar-se pode fazer com que o objeto do amor simplesmente passe por cima de nossos sentimentos sem sermos reconhecidos por tal amor. Mas o amor verdadeiro não busca reconhecimento, daí entrarmos em outro ponto: não sabemos amar!!! 


Não é à toa que uma das mais belas poesias sobre o amor que se foi escrita (I Coríntios 13) diz que o amor é sofredor... é bom... não é invejoso... não se “acha”... não busca seus próprios interesses (tão diferente dos conselhos Lairribeirianos e Paulocoelhianos)... não se irrita.... não suspeita mal... ESSE AMOR JAMAIS ACABA !!!! 

Outro maravilhoso texto... de Camões, diz que “amor é fogo que arde sem se ver... e ferida que dói e não se sente... é um contentamento descontente... e dor que desatina sem doer...” Sei que vocês devem estar lembrando da música do Legião Urbana, que une essas duas poesias em uma linda melodia... pois eu também estou lembrando dela agora... 

O medo de amar é o medo de ser livre!!! É o medo de ter que se ver a realidade de um sentimento brotando e não ter como detê-lo... é o medo de ter que se dar sem esperar algo em troca, numa sociedade cada vez mais “escambolizada” (perdoem-me o neologismo)... é o medo de que a liberdade nos faça realmente pessoas boas, que não queremos ser!! 


Amemos!! Amemos sem medo... amemos os amigos... amemos os inimigos... amemos-nos homens e mulheres, como homens e mulheres... amemos sem medo de machucar-nos, pois isso é algo que pode acontecer... ou não!!! 

Percamos o medo de amar... percamos o medo de sermos livres... vivamos para a liberdade... vivamos para o amor... amemos não só de palavras, mas de gestos. Amor que não se traduz em gestos não é amor!! Um belo e antigo poema diz que: “O sino não é sino enquanto não soar... a música não é música enquanto não for tocada... o amor não é amor enquanto não for dedicado a alguém!!” 

Amemos, não só de palavras... olhemos nos olhos um dos outros... os olhos...ah! os olhos... janelas da alma... quando amamos queremos olhar nos olhos... e deixar que eles falem... que eles digam o que as palavras calam quando o amor nos invade e verdadeiramente somos livres!!! 

"É preciso amar...as pessoas como se não houvesse amanhã..."

Um comentário:

  1. A menina da imagem esta com cólica! ceteza HSAU' LINDA postagem *--*

    ResponderExcluir