sexta-feira, 15 de julho de 2011

JORNAIS: Uma fonte de nutrição.




     -Os jovens não estão nutrindo a mente com uma ideia intelectual capaz de lhes subsidiar a formação de uma consciência crítica e o desenvolvimento do papel de atores sociais. Os jornais,livres e independentes,representam na atualidade a maior fonte de nutrição intelectual para a mente humana,mais do que os jurássicos currículos acadêmicos. Mas os jovens não têm fácil acesso a eles nem interesse em lê-los. Mentes de redatores,jornalistas,articulistas se organizam diariamente para construir o cérebro de um jornal. Nada tão encantador! O ritual de folhear um jornal,o prazer de se informar e penetrar nas informações que varrem as nações é um deleite. Todavia,estão asfixiando esse deleite...


    Como formaremos novos líderes se os jovens gastam horas diárias assistindo à TV ou navegando por sites de entretenimento,e não gastam sequer minutos por semana informando-se sobre os fatos políticos,sociais e econômicos,que permeiam o mundo globalizado? Não formaremos líderes,mas servos.


    É um crime educacional os alunos gastarem anos conhecendo o pequeno átomo que jamais verão e o imenso espaço que jamais pisarão e não gastarem minutos conhecendo o planeta social que pulsa ao redor deles. Eles devem aprender como se forma o pensamento,e como se formam os pensadores.


-    Aos que querem ser líderes,recomendo ainda que leiam as tábuas da mente dos anônimos. Os políticos deveriam se curvar diante dos mais humildes eleitores. Os psiquiatras deveriam aprender,com os doentes mentais,a enxergar suas crises na perspectiva deles. Os intelectuais deveriam ser ensinados pela imaginação dos iletrados. E as celebridades? As celebridades deveriam estar debaixo da luz dos anônimos. Treinem enxergar o mundo do outro com os olhos dele.  



Nenhum comentário:

Postar um comentário