quinta-feira, 22 de novembro de 2012



Diante das incertas certezas incessantes desta vida...
Depois de Einstein, Freud e Camões perderem seu sentido...

Quando tudo parece perdido... Nada faz mais sentido...
Quando as lágrimas começaram a cair... E eu apenas queria me esconder...

Ele apareceu.

Eu não havia chamado... Nem sequer comentei nada...

Ele apareceu como que um anjo... E me abraçou.
Ficou ao meu lado a todo o momento...

Mas puxando pela memória... Ele sempre estava lá.
Sempre me ajudou, me socorreu, me acompanhou...

Não me lembro da vida antes dele... Não faz sentido lembrar.

Ouriços, Titãs, vitaminas de maçã, francês, musicas, missas, despertadores, biblioteca, teatro, I thank you child, chocolates (mtoos chocolates), pulseiras trocadas, bingo (pingo no pé? Nove é!), trabalhos, estágio, provas, facul, beijos, sangue, amigos, passeios, comidas, famílias, deputância, festinha (quase) surpresa, livro de receitas, feriado,...

E tantas outras coisas que com ele quero passar!

Aqueles olhinhos de jabuticaba... Aquele toque suave e forte... Aquele cheiro de Leonardo... Aqueles lábios... Aquela pele... Aquela voz...

Aquele homem maravilhoso que faz, por mim, o que ninguém jamais fez.
Homem! Homem da minha vida! Que faz minhas pernas estremecerem com seus beijos...
Que me ampara e me faz dormir em seu colo...

Meu leãozinho! Sabe ser forte e rude como um leão. Impõe seu lugar, é teimoso, cabeça dura... Mas nada que uma leoa não saiba resolver com muito amor e carinho...

Sei que, para ele, ficar comigo não é tarefa fácil... Sei que talvez eu não o mereça... Que sou muito pouco para ele...

Mas eu o amo. Amo como nunca amei.
Não é aquela paixão desenfreada, tão pouco um amor ardente e de palha... Não é carinho ou desejo...

É um amor puro e verdadeiro. Um amor ardente e carinhoso com direito a desejos desenfreados. Companheirismo... confiança...

Ele é meu tudo.
Minha fortaleza e meu ponto fraco.


Ele é meu tudo. É meu mundo. É meu Leonardo!








Penso no dia em que eu puder chegar a minha casa sossegada... Banhar-me... Hidratar minha pele...
Deixar água no fogo para preparar um chá enquanto escrevo no blog... E quando pronto, encostar-me à cama para tomar meu chá e ler... Ler um bom livro... As noticias do dia... Apenas ler e tomar meu chá.

O silêncio... A abrir um leque de mistura de vozes, pensamentos, lembranças, sonhos, emoções...  Ufa! É só minha respiração... Inspira... Expira... Sistone... Diastone... Percebo a pulsação do meu peito... Respiro manualmente... E de repente... Adormeço.

Acordo assustada com um barulho na porta! Olho para o batente do quarto e vejo alguém...
Meu esposo. Chegou do trabalho e estava a me admirar cochilar...

Ele beija... Vamos jantar juntos... E depois dormir bem agarradinhos.

Para alguns pode ser a descrição de uma rotina... Para outros uma utopia ou um anseio...
Para mim é uma oração. Um desejo de estar em paz, de amar em paz.

Para mim, isso significa um Feliz Natal.