domingo, 17 de setembro de 2017

Sinto sua falta.
E me reconforto pensando em ti enquanto bebo meu café, lendo um livro, antes de dormir, depois de uma noite de plantão.
Sinto falta de chegar e ir te dar bom dia, ver se dormiu bem e se não sentiu dor.
Sinto falta de me perguntar como foi no trabalho...e se eu estava bem.
Suas perguntas nunca me faltavam.
Era tão bom ter alguém interessada em saber sobre qualquer acontecimento corriqueiro que viesse a se passar.
Adorava quando me contava causos antigos... Principalmente quando eram do meu pai.
Sempre me senti uma sombra da existência dele. Mas da senhora,... 
Quero ser a continuação.
Ah minha vó... sinto como se estivesse aqui. Sinto a sua falta.
Não de uma forma triste...
Apenas com toda a dor da saudade.

quinta-feira, 7 de setembro de 2017

A Dama da Morte

O seguinte texto foi redigido no dia 07/09/2016. 5 dias antes do falecimento de minha avó.

Segue:

E, mais uma vez, a Dama da Morte me assombra...
Como se passasse feito um vulto por entre as sombras e dissesse: -"Sentiu saudade? Não se preocupe, eu tardo mais não falho. E, eu nunca vou te abandonar."

Somos tão íntimas, que, às vezes, eu sinto até a sua presença.
Ela sempre me cerca.

E, tentando me reconfortar sobre algo adiável mas não inevitável, sussurra que sua visitante não sofrerá.
Mas aqueles que ficam sofrem pela perda.
Como se cada vez que alguém se fosse... levasse um pedacinho nosso...

E, assim, vamos nos deteriorando... Nos desgastando... De pedacinho em pedacinho...
Até que sobre apenas um.

E, é esse um, que ela vem buscar. 
E, sua visita, ao descanso, nos levará.


Angélica Lima


Por onde andei

Por onde andei só vi beleza,
apesar de grande ter sido as tristezas
Andei por onde meus pés me levaram.
E os meus pés, foram para onde os dele também foram.

Por onde andei encontrei pessoas,
 na qual bardos deveriam cantar seus feitos!
Porém, essas, daquelas outras, só ganhavam despeito.

Andei por onde palavras machucaram mais que armas,
E, eram empunhadas como se não machucassem ninguém.

Vi crianças sorrindo, apesar de estarem sozinhas.
Vi pessoas cantando, apesar de estarem com fome.
Vi pessoas chorando, apesar de terem tudo o que o dinheiro pode comprar.

E, desse mundo grande,
sei que posso levar ,
a certeza de que,
apesar de nele eu morar...
... Apenas nas simples coisas existentes...
....eu pude me encontrar...

sexta-feira, 10 de março de 2017





Engraçado andar pela rua e ter medo das pessoas a sua volta. Estranho dar cada passo apreensivamente desconfiada que alguém vai te abordar e talvez te machucar...

Engraçado todos clamarem por justiça e reclamarem do governo, se, não ajudam ou zelam por quem está na rua, honestamente, apenas indo trabalhar.
Olham. Apenas isso... Olham.
Apenas mais um número acrescido as estatísticas...

Ajude no que for possível. Já tem muita gente fazendo o mal.


Como disse Einstein: "Não estamos condenados pelas pessoas más, e sim por aquelas que permitem a maldade."